terça-feira, novembro 22, 2005

recepção ao caloiro

Nasci a 15 de Julho de 1996. Neste dia em que me trouxeram, às oito semanas de idade, pesava oito quilos e deram-me o nome de 'Diogo Cão'.
Fui recebido pela 'Isis', a cadela da casa desde há oito anos, filha de mãe 'boxer' e pai 'pastor alemão'. Tinha sido vítima de abandono e foi resgatada do canil municipal de Oeiras onde ía ser abatida.
O acolhimento foi razoável mas nunca nos deixaram sózinhos enquanto tive o estatuto de cachorro devido à sua reputação de 'senhora de mau feitio' para os outros cães.
Consta que era uma acérrima defensora e guarda do lar. Partiu um dia, um ano depois, com treze anos de idade.
Os meus pais, a 'Quicka' e o 'Cusco', eram ambos de raça 'Pointer', de pelagem branca e preta, e nasci de uma ninhada de seis; curiosamente, nenhum de nós nasceu com a cor dos progenitores e a minha pelagem tem a denominação 'branco e laranja'. Acresce dizer que sou muito 'cobiçado' por caçadores.

segunda-feira, novembro 21, 2005

domingo, novembro 20, 2005

presente de cão é para apanhar do chão!



Neste jardim que atravesso todos os dias, a caminho do meu passeio na mata do Jamor, há um dispensador de "sacos pretos", fornecidos gratuitamente pela CMO. Verdade seja dita que nem sempre o dito dispensador está abastecido com os ditos sacos mas também é verdade que há uns "brincalhões" - com muito boa idade para trabalhar - que por ali vegetam à noite, e que se dedicam à brincadeira "pueril" de encher com areia e terra de jardim os sacos que se destinam aos dejectos, e que usam como arma de arremesso em batalhas travadas a horas que perturbam o descanso de quem trabalha.
No dia seguinte, nas imediações do jardim, o meu bairro amanhece pejado de sacos pretos espalhados pelos passeios e pelo asfalto.
Claro que a falta de sacos no dispensador não justifica que se deixe no chão o "presente" dos amigos de quatro patas, pois qualquer pessoa tem em casa um mísero saco de supermercado, que na maior parte das vezes nem tem preço - já está incluído no preço dos artigos - e que poderá levar sempre que vai a passeio com o seu cão.
Segundo as estatísticas europeias, as pessoas do meu País são as que mais duche tomam, mas também são das que menos respeitam o ambiente.


UM CÃO NA BLOGOESFERA


Um cão que se preze, não pode, nos dias que correm, deixar de ter um blog.

Aqui estou, por isso, no meu espaço, acabadinho de criar, 'with a little help from my friends', pronto para umas saudáveis 'dentadas'. Saudáveis, sim, que eu sou um cão vacinado e desparasitado por dentro e por fora, uso coleira com chapa onde consta o nome e o telefone da minha dona, tenho microchip desde a mais tenra idade - modernices!!! - e até vou pagar licença na Junta de Freguesia cá do sítio porque quero dar o exemplo!

Renovando a promessa de umas dentadas 'a torto e a direito', fico à espera da vossa visita.

Saudações Caninas.

Diogo Cão.